Leia, com Heitor Miranda, “Pela dignidade, lanterna jamais!” na Coluna Glorioso Coelhão

Início » Colunas » Glorioso Coelhão » Leia, com Heitor Miranda, “Pela dignidade, lanterna jamais!” na Coluna Glorioso Coelhão
Por Tino Ansaloni Publicado em 13/11/2016, 00:08 - Atualizado em 13/11/2016, 00:09
Por Heitor Miranda – Estudante no IFMG campus Ouro Preto e Americano Roxo Após mais uma derrota fora de casa, diante do Corinthians, o Coelho voltou à Arena Independência em busca de uma vitória. Na noite de segunda-feira, 24/10, ás 20h. Nos instantes iniciais as equipes criavam perigo para as defesas e quem chegou com mais perigo foi o América com Ernandes, aos 10 minutos. Ele Recebeu na intermediária, avançou e emendou uma ótima finalização de fora da área, mas o goleiro Weverton apareceu bem para evitar o gol americano. Após o bom início, a partida foi ficando cada vez mais truncada. Os times não conseguiam criar chances e ficavam trocando passes no meio campo. O América jogava com forte marcação esperando o adversário em seu campo de defesa, tanto que o goleiro João Ricardo não foi obrigado a realizar nenhuma defesa difícil no primeiro tempo. Sem alteração, o time americano começou o segundo tempo pressionando. Logo aos 7 minutos, Danilo cruzou para a área e a bola acabou saindo do outro lado, na direita, para Jonas, que fez um bom cruzamento e Juninho cabeceou com firmeza a bola que balançou a rede do gol adversário, mas pelo lado de fora. Aos 18 minutos, o técnico Enderson Moreira foi obrigado a modificar a equipe. O meia Matheusinho caiu no gramado sentindo dores e deu lugar ao volante Renato Bruno, que fez sua estreia no profissional. Pouco depois, o treinador teve que fazer outra mudança forçada, o zagueiro Messias sentiu cãibras e deu lugar ao volante Makton, revelação da base americana que também atua como zagueiro. Foi a sua estreia como profissional. A partida ficou novamente equilibrada e com poucas ações de ambos os lados, quando Enderson Moreira decidiu usar sua terceira modificação aos 32 minutos. Nixon deu lugar a Michael. E logo em seu primeiro lance, Michael teve excelente chance de abrir o marcador. Danilo cruzou na medida para Michael livre, mas o atacante cabeceou para fora. A torcida cresceu com a pressão do Coelho e empurrou o time para o ataque. E, aos 38 minutos, o Coelho teve outra ótima chance. Danilo venceu a marcação dentro da área e rolou para Michael, que finalizou de primeira, mas a bola foi desviada para fora. No lance seguinte, em cobrança de escanteio, a bola sobrou para o zagueiro Éder Lima que balançou as redes para fazer América 1 a 0. Depois de muita pressão na segunda etapa, o resultado justo prevaleceu e o América voltou a vencer, jogando muito bem. Uma semana depois da vitória, o América enfrentou o São Paulo, novamente no Horto. Seguro, o Coelho fez um primeiro tempo consistente e inteligente, priorizando a defesa. Isso fez a equipe adversária se jogar ao ataque e, logo aos 8 minutos, o São Paulo teve grande chance de abrir o placar. O atacante Chavez finalizou forte, no canto, mas João Ricardo fez uma defesa espetacular. No rebote, a bola sobrou para o meia David Neres e, novamente, o ‘paredão’ americano fez mais uma defesa incrível e evitou o gol adversário. Organizado, à medida em que o tempo passava o América saía mais para agredir o adversário, explorando principalmente lances de contra-ataque, em velocidade. E assim, aos 26 minutos, o Coelho abriu o placar. O Danilo roubou uma bola no campo de defesa e rapidamente, com uma visão de jogo impressionante, lançou Michael, que pegou o setor defensivo do São Paulo desajeitado. A bola veio quicando para o atacante do Coelho, que de primeira finalizou com muita força e precisão, marcando um golaço: América 1 a 0 São Paulo. O gol americano fez o time crescer, enquanto o São Paulo demonstrava estar desnorteado. E com essa segurança, o Coelho foi para o intervalo em vantagem após uma primeira etapa movimentada. O Coelho voltou para o segundo tempo com a mesma determinação e proposta de jogo. O São Paulo se mandou para o ataque e quase marcou aos 3 minutos, em finalização de Chavez. Enquanto isso, o América explorava os espaços deixados pelo adversário e também levava perigo. A partida seguia eletrizante e o ‘paredão’ João Ricardo dava um show. Novamente, aos 14 minutos, realizou outra intervenção espetacular. No lance, David Neres chutou forte, livre de dentro da área, de frente para o goleiro americano, que não se intimidou e cresceu para evitar mais uma oportunidade do time paulista. Aos 15, o técnico Enderson Moreira foi obrigado a mudar o time, Messias sofreu cãibras e deixou o campo para dar lugar a Makton. O tempo passava e o Coelho conseguia segurar o São Paulo com muita raça e determinação. Procurando segurar o placar, o técnico Enderson Moreira colocou em campo o volante Claudinei no lugar do atacante Michael, aos 33 minutos. O final foi ainda mais dramático e o América se segurou na base de muita entrega. Mesmo com os jogadores americanos já demonstrando cansaço pela intensidade da partida, a defesa se mantinha consistente e controlava as tentativas do adversário. Aos 46, Enderson Moreira fez a última mudança com o volante Renato Bruno entrando no lugar de Matheusinho, que deixou o campo aplaudido pela torcida americana. A pressão do São Paulo era incrível, mas a garra americana foi determinante e o time conquistou uma vitória excepcional. Um prêmio para verdadeiros guerreiros americanos em campo, a torcida que deu um show e para o paredão João Ricardo, que mais uma vez teve uma atuação impecável. O Coelho foi ao Recife enfrentar o Santa Cruz, domingo (06/11), às 17h. O time da casa começou pressionando bastante o América, que suportava da maneira que podia. Aos 20 minutos, Ernandes apareceu no ataque e chutou forte, mas sem direção. Depois foi a vez de Danilo, que cobrou falta com categoria, mas a bola foi para fora. Dois minutos depois uma nova chance, desta vez com o atacante Michael. O centroavante do Coelho partiu em velocidade contra dois marcadores, conseguiu entrar na área e finalizar, mas o esforço não foi suficiente e a finalização foi para fora. E quando tudo indicava que o América passaria a jogar um pouco melhor que o adversário, o Santa Cruz conseguiu abrir o placar, aos 32 minutos. Aproveitando uma sobra pelo lado esquerdo, o lateral Roberto cruzou para Léo Moura muito mal marcado, que cabeceou sem chances para o goleiro João Ricardo. Em desvantagem no placar, o time americano teve que lidar com outro problema, o zagueiro Éder Lima sentiu dores na coxa esquerda e teve que deixar a partida, aos 37 minutos. Em seu lugar, o técnico Enderson Moreira colocou o zagueiro Roger. No intervalo, o técnico Enderson Moreira promoveu outra troca na equipe americana. Ele tirou o meia Matheusinho e colocou em campo o volante Renato Bruno. Mesmo com a modificação, o América não conseguiu se impor em campo e o Santa Cruz voltou a ter mais volume de jogo. E assim como na primeira etapa, o time americano foi crescendo de produção com o tempo. Com mais posse de bola e mais avançando ao ataque, o Coelho criou uma grande chance aos 17 minutos. A jogada foi construída pelo meia Tony, que cruzou na medida para Michael, mas ele cabeceou para fora mesmo estando livre na pequena área. Depois disso, o Coelho não criou maiores oportunidades e o técnico Enderson Moreira mexeu no time pela última vez, colocando o atacante Danilo Dias no lugar do volante Leandro Guerreiro aos 35 minutos. Mas nada deu certo e o time americano não teve forças para reagir, acabando superado por 1 a 0 pelo Santa Cruz e voltando a laterna. Desde que o técnico Enderson Moreira chegou ao América, podemos perceber uma campanha muito boa em casa, mas quando o time vai jogar fora de casa, perde totalmente o rumo e joga muito mal. O que nos resta é corrigir os erros para atingirmos o sucesso na próxima temporada. A base deve ser mais desfrutada pelo Enderson, já que temos muitos jogadores de grande potencial à serem lapidados em atletas de ponta. Durante essa temporada, tivemos muitas boas revelações como Messias, Roger, Matheusinho, Renato Bruno, Christian, Makton, Vitinho, entre outros. Afim de terminarmos a temporada com um resquício de dignidade, devemos encarar cada jogo restante como uma final e tentar sair ao menos da lanterna. A próxima batalha será contra o Flamengo, no Mineirão. Uma partida muito difícil, contra um time muito bom e que conta com o apoio da torcida. Avante, Coelhão! Ao América fica uma mensagem de terminar a temporada com dignidade, encarando cada próximo jogo como uma final. Sair da lanterna deve ser a meta principal. Na próxima quarta-feira (16) o adversário será o Flamengo, no Mineirão. Uma partida muito difícil, contra um time muito bom e que conta com o apoio da torcida. Fora do game os adversários devem ficar atentos, pois influenciaremos no resultado final do certame. Avante, Coelhão!

Comentar com o facebook

Deixar Um Comentário

Leia, com Heitor Miranda, “Pela dignidade, lanterna jamais!” na Coluna Glorioso Coelhão2016-11-13T00:09:34-03:00

Send this to a friend