“O que aprendemos com a Primeira Liga”, na Coluna Arquibancada Celeste, com Allan Almeida

Início » Colunas » Arquibancada Celeste » “O que aprendemos com a Primeira Liga”, na Coluna Arquibancada Celeste, com Allan Almeida
Por JornalVozAtiva.com Publicado em 04/09/2017, 17:19 - Atualizado em 04/09/2017, 17:19
A eliminação na Copa da Primeira Liga de longe doeu nos corações da torcida Cruzeirense como provocaram nosso rival finalista. Fica sim a chateação por  estarmos de fora de mais uma decisão de título, ainda mais contra nosso maior adversário. Seria a chance de valorizarmos um pouco mais essa competição que mesmo distribuído R$6 milhões aos finalistas, não despertou interesse às grandes equipes participantes. As duas últimas partidas disputadas na Primeira Liga serviram de laboratório para o Cruzeiro. Atletas pouco aproveitados no time principal ou recém promovidos das categorias de base tiveram a oportunidade de mostrar (ou tentar mostrar) o seu futebol, projetando assim um espaço no time de Mano Menezes, nem que fosse para a próxima temporada. Na semifinal, por exemplo, sobrou vontade de jogo na molecada que atuou diante do Londrina. Faltou entrosamento e experiência, o que levou ao resultado final. Não podemos crucificar o volante Vander pelo pênalti cometido no último lance da partida, o que mudou o rumo do jogo. Também não podemos culpar o meio campo Alex pelos gols incrivelmente perdidos. Muito menos os atletas que desperdiçaram os cobranças de penalidades na hora do tudo ou nada. Foram infelizes em uma partida infeliz. O plantel do Cruzeiro é muito amplo, com atletas de potencial precisando é de entrosamento e ritmo de jogo. De repente, se não houver espaço nos planos de momento da equipe, jogadores como Arthur, Alex, Nikson, Vander e Nonoca poderiam ser emprestados a outros times para ganharem experiência. Pela formação que tiveram nas categorias de base, têm tudo para seguir os mesmos passos de nomes que hoje brilham na equipe principal da Raposa e de outras equipes por ai. A Primeira Liga ficou para trás. Para alguns, eu diria que nem existiu. Vamos focar agora na verdadeira decisão para o ano celeste. Quinta-feira é dia de Copa do Brasil, competição que além de grana, dá vaga para a Libertadores da América. É dia de final contra o Flamengo. Agora é com a equipe principal, força máxima em campo. O Maracanã vai ficar pequeno para tanta emoção.

Comentar com o facebook

Deixar Um Comentário

“O que aprendemos com a Primeira Liga”, na Coluna Arquibancada Celeste, com Allan Almeida2017-09-04T17:19:52-03:00

Send this to a friend