‘Comodismo custou a vitória no Super Clássico’, por Allan Almeida

Início » Colunas » Arquibancada Celeste » ‘Comodismo custou a vitória no Super Clássico’, por Allan Almeida
Por João Paulo Silva Publicado em 26/10/2017, 13:02 - Atualizado em 26/10/2017, 13:02
O sexto encontro entre Cruzeiro e Atlético na temporada terminou com a vitória alvinegra. Apesar de não ter feito um bom primeiro tempo, saindo inclusive derrotado para o intervalo, o time alvinegro sabia da missão que lhe foi dada. Ao Cruzeiro, o resultado parcial favorável trouxe certo conforto para os atletas em campo. Conforto até demais, chegando a um comodismo geral. Em três cochilos da marcação, o time celeste viu o adversário balançar as redes do goleiro Fábio, coroando mais um triunfo para o alvinegro. O Cruzeiro iniciou a partida sem um centroavante de ofício. Rafael Sobis deu lugar a Arrascaeta. No esquema tático do técnico Mano Menezes, Thiago Neves foi incumbido da função de homem gol, o falso 9. Enquanto o Cruzeiro possuía um quarteto de criação, formado por Arrascaeta, Thiago Neves, Alisson e Rafinha pela direita, o Atlético possuía um esquema de precisão, com Robinho, Otero e Fred. No primeiro tempo, a articulação celeste pelo meio foi mais eficiente. Aos 30 minutos, numa jogada que iniciou pela esquerda, sempre por lá diga-se de passagem, Thiago Neves abriu o marcador. Euforia no Mineirão. Festa celeste. O time do Cruzeiro foi muito superior até os 15 minutos do segundo tempo. A partir daí, cedeu espaço para o adversário. E em três jogadas precisas definiu o marcador. O Cruzeiro esqueceu que o cronômetro vai até os 90 minutos e parou de jogar bola aos 60. Depois do estrago feito, ainda tentou alguma coisa. Mano Menezes mandou a campo os Rafaeis Sóbis e Marques para tentar fortalecer o ataque. Mas o tempo foi curto. Terceira derrota no ano para o maior rival. Passado o clássico, o remoto sonho de ganhar o Brasileirão ficou ainda mais distante de virar realidade. O foco deve voltar agora para a próxima temporada. Depois do técnico Mano Menezes e do goleiro Fábio, a situação contratual de outros nomes importantes do atual elenco estão sendo trabalhadas. Hudson e Diogo Barbosa estão em pauta.   Além disso, a hora é de ir ao mercado atrás de nomes de peso. O atual presidente anunciou o acerto com Bruno Silva, atualmente no Botafogo. O nome é bom.  Porém, a prioridade tem que ser o ataque. Precisamos de um homem gol de peso para a próxima temporada. A falta desse profissional referência dentro da área tem penalizado muito o time. Aguardemos os próximos capítulos para conferirmos as novidades.    

Comentar com o facebook

Deixar Um Comentário

‘Comodismo custou a vitória no Super Clássico’, por Allan Almeida2017-10-26T13:02:30-03:00

Send this to a friend