“A hora é agora”, com Samuel Senra

Início » Colunas » Templo Alvinegro » “A hora é agora”, com Samuel Senra
Por JornalVozAtiva.com Publicado em 31/03/2017, 15:56 - Atualizado em 31/03/2017, 22:59
Samuel Senra é Graduando em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto O Atlético completou 109 anos no último sábado. Foi a renovação dos votos de mais de um século de glórias e fanatismo, que contou com grandes comemorações, dentro e fora de campo. Com uma chuva de fogos na Sede de Lourdes, shows em trio-elétrico e uma vitória contra a URT no domingo, a comemoração foi tão boa quanto o futebol que a equipe vem apresentando. O Galo está jogando um futebol cada vez mais consistente. Elias se encaixou como uma luva no meio-campo e está sendo uma das forças motrizes da equipe. Atuante tanto na marcação quanto nas chegadas ao ataque, o meia anda desempenhando papel fundamental nas vitórias. Outro que está afinado e não nos deixa sentir saudades do Pratto é Fred. O cara faz com maestria o ofício de balançar as redes. Já foram 12 tentos, sendo alguns dos gols belíssimas pinturas.Robinho vem sendo o responsável por servir a fera. Aos poucos, o rei das pedaladas está se encontrando na equipe titular. Falando em equipe titular, logo logo Roger terá dores de cabeça para escalar o meio de campo. Luan, que volta de contusão, mostrou contra a URT porque é o queridinho da massa. O menino maluquinho entrou no segundo tempo para fazer o segundo gol Atleticano na partida. Teve a frieza de um craque para receber em profundidade e com só dois toques na bola tirar do goleiro e, sem ângulo, guardar no fundo das redes. Com 100% de aproveitamento no Mineiro, o Galo encara o Cruzeiro no sábado. Diferentemente do primeiro clássico do ano, o time vai completo para sacramentar a invencibilidade no Campeonato. Apesar de que, já estamos classificados para a próxima fase e mais preocupados é com o próximo jogo na Libertadores. Estreamos mal, o jogo foi ruim, o campo era ruim. Assim como o adversário. O empate contra o Godoy Cruz, na argentina, serviu para sacudir a poeira e nos lembrar que Libertadores é diferente: é imprevisível, cheio de catimba, sofrimento. O grupo é tranquilo teoricamente, mas não dá para querer contar com a sorte. Aliás, o Galo tem equipe suficiente para sequer precisar disso. É não sucumbir à pressão de competição sul-americana e fazer a única coisa que se deve fazer nesse esporte: jogar futebol. O segundo jogo do Galo pela Libertadores será só no dia 13, contra o Sport Boys da Bolívia no Independência. É aí que a equipe, que vem se mostrando cada dia mais concisa, será posta à prova. Afinal, Libertadores é Libertadores. Mineiro é treinamento.    

Comentar com o facebook

Deixar Um Comentário

“A hora é agora”, com Samuel Senra2017-03-31T22:59:26-03:00

Send this to a friend