Na Coluna Glorioso Coelhão: “Acreditando na dignidade dos atletas para um desfecho digno de temporada”

Início » Colunas » Glorioso Coelhão » Na Coluna Glorioso Coelhão: “Acreditando na dignidade dos atletas para um desfecho digno de temporada”
Por Tino Ansaloni Publicado em 06/09/2016, 16:27 - Atualizado em 06/09/2016, 16:27
Por Heitor Miranda, Estudante no Colégio Sinapse e Americano Roxo Depois de mais uma derrota no Brasileirão, para a Chapecoense, o América voltou a jogar no Domingo 28/08 diante do Vitória. Jogo realizado em Salvador na Arena Fonte Nova, às 18:30. O primeiro tempo do duelo foi de domínio americano. O time pressionava a saída de bola do time adversário e tinha a partida sob seu controle, mas não criava chances claras de gol. Neutralizando todas as peças ofensivas do Vitória, o Coelho ficava cada vez mais no comando do jogo e criou uma oportunidade claríssima aos 33 minutos, quando Gilson fez ótima jogada, avançou para dentro da área fez um cruzamento preciso para o meia Matheusinho que livre, acabou perdendo a chance de abrir o placar ao cabecear a bola para fora. Mesmo atacando mais e sem sofrer sustos, quem fez o primeiro gol do jogo foi a equipe baiana. Marcelo aproveitou uma sobra na entrada da área e acertou um chute de rara felicidade, aos 36 minutos. Após o gol, o América tentou reagir e aos 44 minutos o zagueiro Alison aplicou um chapéu no zagueiro Victor Ramos e cruzou na medida para dentro da área. Sem marcação, o atacante Michael nem precisou pular para fazer o cabeceio, mas a bola acabou indo para fora de forma inacreditável. Assim, o América acabou sendo castigado no fim do primeiro tempo, que terminou com o placar injusto de 1 a 0 para o adversário. No segundo tempo, o time adversário conseguia equilibrar o jogo e dificultava para o Coelho criar oportunidades para igualar o placar. Observando esse panorama, o técnico americano promoveu a primeira mudança na equipe colocando Danilo no lugar de Matheusinho, aos 16 minutos. Aos 18 minutos, o time americano sofreu mais um gol na partida, um verdadeiro balde de água fria. O meia Cárdenas cruzou para a área, e o atacante David cabeceou livre para aumentar a vantagem do time adversário. Com o placar adverso, Enderson Moreira mudou o time 3 minutos depois, colocando o atacante Nilson no lugar de Michael. Aos 28 minutos, o treinador americano fez a última alteração ao promover a entrada do meia Diego Lopes no lugar do volante Leandro Guerreiro. Procurando o ataque, o time americano novamente criou uma chance clara no jogo e a desperdiçou, Jonas avançou pelo lado direito e fez um cruzamento rasteiro para Nilson. Na pequena área e de frente para o gol, o atacante americano não conseguiu finalizar o lance e a bola foi cortada pela defesa adversária. Aos 35, o Coelho chegou mais uma vez com Gilson, que cruzou para a área e o meia Diego Lopes dividiu com a zaga, mas a finalização saiu fraca e foi defendida pelo goleiro do time baiano. Depois da grande insistência, o time americano finalmente conseguiu marcar o seu gol, Nilson dominou a bola no peito na entrada da área e deu um belo passe para Danilo, que finalizou com muita força e precisão de pé esquerdo e estufou as redes adversárias diminuindo a desvantagem no jogo aos 40 minutos. No fim da partida o América se lançou ao ataque buscando o empate de todas as formas, até o goleiro João Ricardo chegou a ir para a área duas vezes em cobranças de escanteio, mas não foi suficiente. Mesmo com uma boa atuação e dominando boa parte do jogo, o América acabou sendo superado pelo placar de 2 a 1 pelo Vitória. Dita a pior campanha de um time na era dos pontos corridos do Campeonato Brasileiro Série A, o América enfrenta inúmeras dificuldades para se manter na elite nacional. A falta de motivação e confiança dos jogadores atrapalham o seu desempenho nas partidas e mesmo jogando melhor, o time perde. A troca de treinadores no meio da competição e a chegada e saída de vários atletas, causaram danos claríssimos à equipe como um todo. E tudo isso é causado e coroado pelo péssimo ou inexistente planejamento da diretoria alviverde. Dívidas irão surgir, jogadores sairão e seremos tratados com chacota. O que nos resta como torcedores é apoiar o time nesse momento difícil e daqui para frente acreditar na dignidade dos atletas com o clube e ter no desfecho de temporada uma campanha leal e digna, com muita luta e insistência. Cada jogo é uma verdadeira final, a equipe já vacilou muito e isso não pode acontecer mais. Assim, temos nossa próxima partida contra o Cruzeiro, no Independência. O jogo será quinta (08/09) às 21:00. Teremos uma difícil missão contra uma equipe que se acertou com o técnico Mano Menezes e vem embalada. Não podemos "deixar de vencer" como ocorreu em algumas partidas, e devemos jogar com muita raça e atenção. Vamos vencer, meu Glorioso Coelhão!

Comentar com o facebook

Deixar Um Comentário

Na Coluna Glorioso Coelhão: “Acreditando na dignidade dos atletas para um desfecho digno de temporada”2016-09-06T16:27:33-03:00

Send this to a friend