6ª Reunião da Câmara de Ouro Preto 2024
Clique play e assista

FIC comemora os 80 Anos do Complexo Arquitetônico da Pampulha

Festival oferece apresentações gratuitas em três espaços locais

Home » FIC comemora os 80 Anos do Complexo Arquitetônico da Pampulha
Por JornalVozAtiva.com Publicado em 27/11/2023, 16:02 - Atualizado em 27/11/2023, 16:02
fic-80-anos-do-complexo-arquitetonico-da-pampulha
Foto — Coral Dom Helder. Crédito — NECOM / Dom Hélder. Siga no Google News

O FIC - Festival Internacional de Corais - aborda a cada ano uma temática específica. Nesta edição de final de 2023, o festival se junta às comemorações dos 80 anos do Complexo Arquitetônico da Pampulha, oferecendo, nos dias 2, 3 e 17 de dezembro, diversas apresentações musicais, em três renomados espaços locais, a Casa do Baile, o Museu Casa Kubistchek e o Santuário Arquidiocesano São Francisco de Assis, mais conhecido como a Igrejinha da Pampulha. Todas as apresentações têm entrada gratuita.

Entre as atrações do FIC Pampulha 80 Anos estão diversos corais de Minas Gerais, como o Madrigal Renascentista, o tradicional Coral Ensaio Aberto, grupos vocais e a banda 14 Bis apresentando o show “Acústico”, que acontecerá na Praça da Igrejinha da Pampulha, tendo como cenário a parte externa traseira com a pintura de Portinari.

A participação da banda mineira 14 Bis no FIC Pampulha 80 Anos, está sintonizada com a proposta do Festival Internacional de Corais, uma vez que o quarteto mineiro é reconhecido e admirado por sua qualidade na harmonização das vozes e sua habilidade na utilização de instrumentos acústicos, além da beleza de suas canções.

Foto — A banda 14 Bis. Crédito — Lucas Bori.

Com mais de 40 anos de carreira, a banda 14 Bis emplacou vários sucessos, como “Planeta Sonho”, “Linda Juventude”, “Natural”, “Mesmo de Brincadeira”, “Canção da América”, “Nave de Prata”, “Caçador de Mim” e “Todo Azul do Mar”, faixas obrigatórias em qualquer apresentação. O show “14 Bis Acústico” inclui também canções menos conhecidas, mas que continuam nos corações dos fãs, entre elas, “A Qualquer Tempo”, “Pedra Menina”, “Vale do Pavão”, “Ciranda”, “Carrossel”, “Além Paraiso”. O repertório abrange ainda composições mais recentes, como “Sonhando o Futuro” (Cláudio Venturini e Lô Borges) e músicas do grupo O Terço (“Queimada”, “Luz na Escuridão”), do Bendegó (“Onde o Olhar Não Mira”) e de Beto Guedes (“Sal da Terra”). O 14 Bis se apresentará neste FIC com a seguinte formação: Cláudio Venturini (vocal, violão e viola), Sérgio Magrão (vocal e baixo), Vermelho (vocal e teclados) e Hely Rodrigues (Cajon), mais a participação de Christiano Caldas nos teclados.

Reconhecido e admirado internacionalmente por sua riqueza cultural, importância histórica e belezas naturais, o Complexo Arquitetônico da Pampulha surgiu de um projeto do então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek, que encomendou ao jovem e já reconhecido arquiteto Oscar Niemeyer a criação de um conjunto de edifícios em torno da lagoa artificial da Pampulha: um cassino, uma igreja, uma casa de baile, um clube e um hotel. A inauguração oficial ocorreu em 16 de maio de 1943, nas presenças do presidente Getúlio Vargas e do governador do estado de Minas, Benedito Valadares. O cassino se tornou o Museu de Arte da Pampulha em 1957. Em 17 de julho de 2016, a Pampulha passou a ser considerada Patrimônio Mundial da Humanidade, a partir de uma deliberação da Unesco.

Há mais de 20 anos, o FIC - Festival Internacional de Corais -, coordenado pelo maestro Lindomar Gomes, proporciona apresentações de corais, bandas, congados, orquestras e shows de renomados artistas nacionais e internacionais, atingindo um público superior a 100 mil pessoas, em aproximadamente 60 espaços de 15 cidades de Minas Gerais. Com apresentações sempre gratuitas, o FIC é uma forma de integração entre variadas manifestações da música e da cultura, popular e erudita. Hoje o maior da América Latina, o festival é um espaço essencial para promover e integrar corais e grupos vocais/instrumentais, amadores e profissionais, de empresas, instituições de ensino e comunidades. O FIC oferece também oficinas de canto coral e educação musical, para aprendizado e intercâmbio de informações.

Coordenador do FIC, o Maestro Lindomar Gomes é formado em Canto, Canto Gregoriano e Regência Coral pela Fundação Clóvis Salgado (Palácio das Artes). Técnico em Cultura da Secretaria de Estado de Cultura, Lindomar é formado também em Arte-educação pela UEMG e Planejamento e Gestão Cultural pela PUC Minas. Maestro do Coral Ensaio Aberto, no qual desenvolve um projeto de resgate do Canto Coral voltado para composições brasileiras, ele coordenou vários festivais pelo Estado, como Festival de Inverno de Itabira e Festival de Verão de Pedro Leopoldo. Atuou em atividades corais na Argentina, Cuba, Itália e Venezuela. É idealizador e coordenador do FIC Festival internacional de Corais & Bandas. Recebeu do governo de Minas Gerais a Medalha Tiradentes pelos relevantes serviços em prol da Cultura Mineira.

FIC 2023 — Pampulha 80 Anos

Programação

Dia 2
Local: Casa do Baile
Horário: a partir de 10 horas
Atrações: Coral Acordos e Acordes, Coral Ensaio Aberto, Coro Bora Cantar, Coral Vozes do Vale do Paraopeba de Brumadinho e Madrigal Renascentista

Dia 3

Local: Museu Casa Kubistchek
Horário: a partir de 10 horas
Atrações: Coral da ABBOPP, Coral da Escola Municipal Joventino Lanza, Coral Dom Helder Câmara, Coro em Canto, Grupo Vocal Coro
Cobras e Grupo Vocal OverVozes

Dia 17

Local: Adro da Igreja da Pampulha
Horário: 19 horas
Atrações: Coral Ensaio Aberto e 14 Bis.
Todas as apresentações têm entrada gratuita.

Foto — Coral da ABBOTT. Crédito — Mestre Saúva.

www.festivaldecorais.com.br

Deixar Um Comentário